Trazendo meu peludo pro Canadá Parte II

Trazendo meu peludo pro Canadá Parte II

Pessoal, como prometi, essa é a segunda parte do post explicando o passo a passo que segui para trazer o meu peludo para o Canadá. Se você ainda não viu a primeira parte, clique aqui, antes de continuar a ler.

Os próximos passos foram a organização dos documentos e a viagem.

3- Documentação

Deixei essa parte como terceiro item porque você só poderá fazê-la bem próximo da viagem.

Os documentos necessários são apenas três:

1- Atestado Sanitário para o Transito de Cães e Gatos – Emitido pelo veterinário do seu cão com validade de até 10 dias corridos.

2- Certificado de Vacinação Anti-Rábica – Uma declaração do veterinário, garantindo que seu cão recebeu essa vacina, indicando a data de validade e o lote da mesma. Só para garantir, eu fiz a versão em português e inglês.

3- Certificado Zoossanitário Internacional– Esse certificado é o principal para a entrada do seu animal por aqui. Nele contem todos os dados dos documentos acima traduzidos para o inglês, a fim de que o agente daqui, ao receber o seu cachorro, entenda que ele está vacinado e saudável para entrar no país.
Você pega esse documento no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento(MAPA) mais próximo, com validade de 10 dias corridos, o de Yoshi foi emitido dia 29-05-2015 e chegamos aqui dia 03-06-2015. Geralmente nos grandes aeroportos brasileiros tem uma sede do MAPA e para receber esse certificado zoossanitário é apenas necessário levar o Atestado Sanitário para o Transito de Cães e Gatos que o veterinário fez anteriormente. Não há necessidade de levar o cão junto.

Outro documento importante que é sempre bom ter em todas as ocasiões é a carteira de vacinação do seu dog.
Independente dos documentos necessários para viajar, atualizar todas as vacinas do seu peludo também é importante, não se limite apenas a anti-rábica, e fazer um check-up total nele sempre é bom, para garantir que ele realmente esteja saudável com todas as condições necessárias para viajar bem. Eu fiz exame de sangue no meu Preto e ele já estava com todas as vacinas em dia.

4- Preparar para viajar

Eu sei que é difícil durante a proximidade do grande dia tentar manter a calma e ficar tranquilo mas isso é bastante importante para que seu cachorro se sinta seguro no momento da viagem. Os cães absorvem todas as nossas energias, por isso é sempre bom transmitir serenidade para eles não estranharem tanto o ambiente de aeroporto, a viagem dentro do avião e a adaptação à nova casa e rotina.

No dia da viagem para São Paulo, nos tentamos deixá-lo bem calmo e como seria apenas uma viagem de 3 horas, optamos por não dar Dramin à ele, conversamos bastante com o veterinário dele sobre o assunto e ele indicou darmos apenas 5 gotas de Dramin, antes da grande viagem de São Paulo – Vancouver (aproximadamente 15 horas) só para deixá-lo mais relaxado, lembrando que não é indicado dopar o cão durante viagens.
Dentro do Kennel, além de sua caminha estavam dois brinquedinhos e uma camisa de Diego, para ele ir sentindo o cheiro dele.

Trazendo meu peludo pro Canadá Parte II

Apesar da angústia, esse vôo foi bem tranquilo, o Preto chegou à São Paulo bem, apenas apertado para fazer xixi. :D Assim que saímos de dentro do aeroporto, levamos ele para se aliviar numa área permitida e em seguida fomos para o hotel descansar para enfrentarmos a grande viagem do outro dia.

No dia seguinte, antes de embarcar, alimentamos o Preto duas horas antes do vôo, e antes de despachá-lo demos as 5 gotinhas de Dramin e foi ai que chorei, imaginando 10 horas de vôo longe do meu pequeno, assim que entrei no avião pedi para a comissária se certificar que havia um cão à bordo e ela prontamente já foi me dizendo que já sabia de Yoshi e que eu não me preocupasse que ele já estava dentro do avião e que lá a temperatura era igual à da cabine etc, etc, tentando me deixar mais tranquila.
Quando chegamos em Toronto, meu grau de ansiedade estava nas alturas, pois tinhamos que passar pela imigração e depois buscar Yoshi para apresentá-lo com os documentos ao agente daqui para liberá-lo para entrar no país.
Passando pela imigração, que demorou mais que o normal, fomos correndo para buscar Yoshi e as nossas bagagens, quando encontramos o peludo, eu fiquei tão aliviada e feliz por ter dado tudo certo, que vocês nem imaginam.
Depois, fomos correndo para apresentar Yoshi e seus documentos e foi super tranquilo por lá, pagamos uma taxa de CAD$ 33.90, para a inspeção de animal vivo (inspection fee for live animal) e Yoshi foi liberado, porém, por conta da demora na imigração perdemos o vôo para Vancouver. Mas eles resolveram rapidamente e emitiram novo ticket para o proximo vôo. O intervalo entre a chegada do nosso vôo em Toronto até o embarque para o de Vancouver foi de duas horas, moral da historia, se vão viajar com cães tenham ao menos 3 horas de diferença, imprevistos acontecem.
Antes de despachar Yoshi novamente, o alimentamos e o levamos para fazer pipi outra vez.:D
Depois o despachamos rumo ao nosso destino final.
Quando chegamos aqui, foi bem tranquilo, pegamos Yoshi na area das malas e deu tudo certo, graças à Deus!

O gasto total que tivemos para trazer o nosso peludo foi R$ 1.295, aproximadamente, já com a taxa cobrada aqui no Canadá.

Ele chegou bem, um pouco ansioso, mas se alimentou direitinho, fez as suas necessidades e estava feliz ao lado das pessoas que ele mais ama e que o amam de volta!:D
Foi estressante, angustiante mas faria tudo novamente, vale super a pena quando o vejo aproveitando toda essa novidade ao nosso lado e curtindo tudo, é muito satisfatório.

Muito bom dividir esses momentos junto do seu melhor amigo. :D

Espero que eu tenha ajudado muita gente com a minha experiência em trazer o meu peludo pra cá. Qualquer dúvida ou curiosidade, deixem nos comentários, que eu responderei.

Um grande abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *